Family Office: a solução ideal para a gestão de patrimônios familiares – Por: Silvinei Toffanin é sócio-fundador da DIRETO Group – empresa de wealth management com mais de 25 anos de mercado, especializada na prestação de serviços de consultoria, contabilidade, controladoria, assessoria fiscal, tributária, trabalhista, legal, societária, BPO Financeiro, planejamento financeiro estratégico, gestão e administração de Family Office, criação de Offshores, além de soluções de tecnologia, ciência de dados e inteligência artificial a fim de otimizar custos e aumentar a produtividade dos negócios.

Family Office: a solução ideal para a gestão de patrimônios familiares – Por: Silvinei Toffanin é sócio-fundador da DIRETO Group – empresa de wealth management com mais de 25 anos de mercado, especializada na prestação de serviços de consultoria, contabilidade, controladoria, assessoria fiscal, tributária, trabalhista, legal, societária, BPO Financeiro, planejamento financeiro estratégico, gestão e administração de Family Office, criação de Offshores, além de soluções de tecnologia, ciência de dados e inteligência artificial a fim de otimizar custos e aumentar a produtividade dos negócios.

Com pesar, temos visto, nos últimos anos, a despedida de grandes empresários e empreendedores, que constituíram enormes impérios familiares. Acompanhamos, também, a partida de artistas de sucesso, que constituíram patrimônio relevante. Na maior parte dos casos, após o cumprimento dos ritos de passagem, inicia-se uma disputa, muitas vezes judicial, pela divisão dos bens.

É justamente para evitar essas situações, que existem os serviços privados de consultoria para gerenciamento de patrimônios: os chamados Family Office. É por meio desse modelo de gestão, que uma equipe integrada é formada para alinhar todos os aspectos da estrutura financeira e da estratégia patrimonial familiar dos clientes atendidos. Ou seja, trata-se de uma consultoria que vai operar ativos unifamiliares ou multifamiliares.

Na prática, um Family Office se dedica a buscar a melhor forma de maximizar, proteger e gerenciar os recursos para administrar o patrimônio dos seus clientes. Essa atividade inclui o planejamento tributário, doações, compra e gerenciamento de propriedades, gerenciamento de investimentos, transferência de riqueza geracional, planejamento imobiliário, gestão de riscos e uma série de outras frentes. É como ter um Diretor Financeiro trabalhando para proteger e aumentar o patrimônio da família, exatamente como seria feito no caso de uma empresa. No entanto, em vez de ter apenas uma pessoa atuando, há um time de especialistas trabalhando em conjunto para que nenhum detalhe seja deixado de lado.

A busca por Family Offices tem crescido de maneira especial nos últimos anos. Uma série de fatores – incluindo a pandemia – tem levado as pessoas a se preocuparem, cada vez mais cedo, com a sucessão e o planejamento familiar. O mais interessante é que, contrariando a ideia de que só devem recorrer à Family Office aqueles que tenham grandes fortunas, hoje em dia, esse é um serviço que pode ser interessante para qualquer pessoa que tenha um patrimônio relevante e vislumbre poupar valores para antecipar a aposentadoria. Também é indicado para empresas que precisam, em algum momento, tratar de assuntos relacionados à transferência e sucessão dos bens e direitos.No caso do planejamento sucessório, é fundamental que o titular do patrimônio reflita sobre essa passagem de bastão. Com a constituição de uma Family Office, torna-se mais assertiva a definição de quem serão os líderes, gestores ou sócios/acionistas.

Para formar a Family Office e realizar o Planejamento Sucessório é necessário seguir alguns passos. Para iniciar, é importante definir metas e objetivos. Em seguida, é imprescindível identificar e estabelecer os processos de governança para que os membros da família participem da tomada de decisões. Feito isso, são definidas as funções de cada membro, considerando inclusive o apoio adicional a herdeiros que ainda dependem da família, bem como a compensação no caso daqueles que ainda não têm controle sobre as decisões.

Outro passo importante é a definição de um planejamento tributário, levando em conta as implicações fiscais relacionadas a transmissão de bens por morte, divórcio, etc. A meta é trabalhar para reduzir a carga fiscal. Também é importante desenvolver um plano de transição, que facilite o processo sucessório e preveja possíveis problemas. Além disso, durante o processo de gestão do patrimônio uma série de indicadores precisam ser avaliados periodicamente, caso do VPL, VPLa, ROI, TIR, Payback, EBITDA, entre outros.

O fato é que ao constituir a Family Office e cuidar do plano de sucessão, são minimizados possíveis problemas entre os herdeiros e fica garantido que o desejo do empresário seja efetivamente seguido. Você já pensou nesse tipo de solução para deixar o patrimônio da família protegido?

Compartilhar este post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *