Propaganda

Artigos

Startups brasileiras levantaram US$ 772 milhões em agosto, alta de 303%

O acumulado do ano soma US$ 6,6 bilhões, saindo de US$ 3,5 milhões vistos em 2020

No acumulado de mês de agosto, as startups brasileiras levantaram US$ 772 milhões em investimentos, segundo levantamento recente do Inside Venture Capital Report, relatório da Distrito Dataminer, nicho de inteligência da plataforma de inovação aberta Distrito.

O levantamento, contudo, não considera dois investimentos em startups: o da Nuvemshop e o investimento de R$ 1 bilhão na Movile.

O acumulado de aportes do ano soma US$ 6,6 bilhões, saindo de US$ 3,5 milhões vistos em 2020. Para Renato Gil, co-fundador da 2Simple, empresa que atua na criação de estratégias para startups, a grande alta nessa captação vem do avanço tecnológico visto na pandemia.

“A pandemia fez o cenário econômico mudar e as medidas de segurança necessárias para garantir a saúde de todos impuseram novos comportamentos. O home office se tornou uma realidade muito mais presente, os serviços delivery ganharam um destaque ainda maior e os pagamentos por aproximação também. Tudo isso fez o digital se consolidar definitivamente no Brasil e as empresas de tecnologia aproveitaram”, afirma.

Fintechs lideram captações

Ou seja, somente em oito meses de 2021, o ano já supera em 86% o volume de investimentos no segmento em relação ao ano de 2020. Além disso, em relação ao mês de agosto, especificamente, há alta de 303% se comparados os investimentos ao longo do mês em cada ano.

Nos destaques do ano, ficam:

Fintechs – US$ 2,6 investidos

Retailtech – US$ 630 milhões

Edtech – US$ 294 milhões

Healthtech – US$ 222 milhões

Martech – US$ 49 milhões

Já do mês de agosto tiveram destaque fintech, retailtech, healthtech, real estate e edtech. O último setor em questão foi o que apresentou o maior volume de negócios, saindo de 20 deals em 2020 para 40 em agosto deste ano.

Os maiores aportes do mês foram a Série E do QuintoAndar, no valor de US$ 250 milhões; a Série C da Omie, de US$ 116 milhões; e o aporte na Unico, de US$ 120 milhões, que a elevou ao patamar de unicórnio.

Número de startups “unicórnios” cresceu 74% no mundo em 2021

Dados divulgados no fim de junho pela CB Insights apontam que, em 2021, foi atingido um recorde no número de startups que se tornaram unicórnios: foram 209 até esta terça, dia 22 de junho, número 74% maior do que os 120 no ano anterior. Nos dois anos anteriores, de 2019 e 2018, foram 123 e 122, respectivamente – seguindo um panorama semelhante no setor. Agora, o mercado demonstra estar mais aquecido.

A alta se dá especialmente devido ao maior crescimento de companhias de tecnologia – ou vinculadas a serviços digitais. Os unicórnios e as startups em geral, em grande parte, ficam dentro desse guarda-chuva. Na mesma toada, diversas big techs americanas tiveram desempenho financeiro recorde em 2020.

Os unicórnios, por definição, são as startups que ultrapassaram a marca de R$ 1 bilhão em valor de mercado. Segundo a CB Insights, atualmente são 725 startups que já romperam esta marca.

28 visitas
Propaganda

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail