Propaganda

Artigos

Livro ajuda líderes a se tornarem protagonistas em suas carreiras

Especialista em desenvolvimento humano Susanne Andrade lança  “Líder Protagonista – Uma Nova Atitude na Agilidade”, que busca ajudar gestores a se tornarem protagonistas de suas carreiras e empresas a implementarem na prática a gestão humana e ágil

 

Hoje, as chamadas “doenças da alma” – como síndrome de burnout, ansiedade e depressão- têm crescido no Brasil e no mundo. Muitas vezes, essas doenças estão relacionadas à sobrecarga no trabalho, e nem todas as pessoas notam essa ligação com a vivência no ambiente profissional. Por isso, o papel dos líderes nas empresas é cada vez mais essencial, já que são eles que lidam diretamente com os colaboradores. Procurar entender o motivo da queda repentina de rendimento de um profissional, por exemplo, antes de pensar em desligar o funcionário da empresa, é essencial dentro de uma gestão humanizada.

 

Para Susanne Andrade, especialista em desenvolvimento humano e autora do novo livro “Líder Protagonista – Uma Nova Atitude na Agilidade, é preciso ter em mente que as pessoas não são “máquinas perfeitas”, que trabalham “sem parar” e de forma “automática”. “Alcançar resultados e crescer na carreira é ótimo e devemos, sim, buscar essa ascensão, porém não podemos esquecer de que não somos robôs e sim seres humanos. Ter esse entendimento e entrar no ‘modo humano’ é fundamental para obter o equilíbrio entre saúde mental, qualidade de vida e carreira”, comenta a autora.

 

Na visão de Susanne, o papel do líder não pode ser apenas cobrar a entrega de resultados, mas também ajudar seus colaboradores a desempenharem suas funções de maneira mais leve, construindo uma experiência positiva no ambiente corporativo. “O gestor não pode se esquecer de que os funcionários têm uma vida fora do escritório. Infelizmente, muitos líderes não conseguem exercer seu papel de forma adequada, por também estarem presos à “obrigação” de produzir o tempo todo”, analisa a especialista.

 

“Muitos gestores também têm certo receio de ‘perder a autoridade’ ao se aproximar dos colaboradores, o que leva ao seu afastamento do time, quando seu papel é justamente o inverso, alimentar o entusiasmo da equipe”, alerta Susanne.

 

Pensando em ajudar pessoas em cargo de liderança que passam por essas situações, em seu livro, Líder Protagonista – Uma Nova Atitude na Agilidade, Susanne lista os 7 passos para fazer a diferença na vida pessoal e na carreira, destacando-se na empresa ao lidar melhor com os colaboradores. “A relação entre líder e liderado é uma das relações sociais mais importantes a ser cultivada no ambiente de trabalho, pois impacta diretamente na produtividade. Segundo estudo do centro de estudos MIT, dos EUA, o bom relacionamento entre gestor e liderados gera mais resultado e dinheiro para as empresas. Além disso, 8 em cada 10 profissionais pedem demissão por causa da relação com o chefe”, comenta ela.

 

Inteligência artificial x Inteligência Emocional

 

No livro, Susanne também aborda a relevância da Inteligência Emocional, e a falsa crença de que a Inteligência Artificial irá “roubar o lugar” dos colaboradores humanos no trabalho. “Devido a esse receio, muitas pessoas passam a tentar ‘competir’ com a máquina, o que é problemático, pois seres humanos nunca irão desempenhar funções e gerar resultados iguais aos da IA. Por isso, essa atitude muitas vezes afeta a saúde psicológica, causando estresse devido à pressão excessiva no trabalho, já que a própria pessoa se auto sabota buscando entregar resultados como uma máquina, coisa que nós seres humanos não conseguimos”, ressalta a especialista em desenvolvimento humano.

 

Para a autora, a IA jamais irá tirar o lugar dos seres humanos, e, ao invés de “competir” com a tecnologia, devemos focar nos nossos diferenciais. “Uma empresa não é feita apenas com recursos de IA, é preciso pensar em como usar a Inteligência Emocional (IE) para se diferenciar da IA e, dessa forma, se destacar no ambiente de trabalho”, ensina Susanne.

 

“Quando o profissional não se identifica com aquilo que faz, ou se esquece de fazer suas escolhas de forma consciente, aceita trabalhar em qualquer empresa que lhe pague um salário suficiente para ‘pagar as contas’, e faz o que vier de demanda, ficando, profissionalmente, sem rumo definido, o que é prejudicial”, diz Susanne.

 

Protagonismo ágil como uma nova atitude

 

Para a autora, um líder com postura de protagonista usa a cultura ágil para alavancar resultados pessoais e profissionais. Ao desenvolver essa atitude, ele conquista mais resultados com sucesso e felicidade, pois entende que: habilidades são sempre possíveis de serem desenvolvidas; obstáculos surgem para que sejamos perseverantes ao avançarmos e evoluirmos; aprendemos com as falhas e nos inspiramos com as pessoas de sucesso; é essencial sermos flexíveis para surfarmos nessa onda de mudanças.

 

“Ao agir assim, as pessoas estão assumindo a responsabilidade pelo que querem conquistar, que é um caminho essencial para a realização. Ser protagonista é ter  autoconhecimento e disciplina para entrar em ação e conseguir mudar hábitos já instaurados e consolidados durante a sua trajetória de vida e carreira, afirma ela.

 

Transformação Digital

 

A transformação digital é outro ponto-chave abordado por Susanne no livro pois, na visão da autora, ela é o primeiro passo para adotar o protagonismo ágil como atitude. Enquanto algumas empresas já nasceram digitais, outras ainda ensaiam a transformação digital.

 

“No entanto, é impossível ter uma gestão verdadeiramente ágil sem abraçar as inovações e a cultura digital. Só existe agilidade e transformação digital em um ambiente que seja de fato colaborativo, e isso depende das atitudes de cada um”, reforça a especialista em desenvolvimento humano.

 

Mindset da Eficiência

 

A implementação da cultura ágil e do mindset da eficiência também é destacada pela especialista no livro. “É preciso que os líderes desenvolvam soft skills e uma liderança servidora, deixando para trás o velho modelo do ‘comando e controle’, diz Susanne.

 

Para isso, o MAC (Modelo Ágil Comportamental) é uma excelente ferramenta para imprimir agilidade e eficiência às empresas de todos os portes e segmentos, e potencializar resultados em um prazo relativamente curto. O MAC tem como propósito potencializar os resultados nas organizações, com entregas mais ágeis a partir da mudança de mindset dos profissionais e  desenvolvimento de soft skills na equipe. Isso leva à mudança de cultura, pois transforma a mentalidade das pessoas que lá trabalham, proporcionando grandes resultados”, resume a autora.

 

Autogestão do tempo

 

Outra questão tratada por Susanne no livro é a importância de saber autogerir seu próprio tempo. “É preciso ter em mente que o tempo é uma variável fixa, e a flexibilidade está em suas mãos, inclusive para cuidar de si. É aí que reside o grande salto para a autogestão”, explica Susanne.

 

Para a autora, fazer a autogestão eficiente na relação com o tempo é a chave para produzir com maior qualidade de vida. “Quem sabe autogerir seu próprio tempo produz mais em um período mais curto de tempo, e consegue reservar tempo para si mesmo, para o lazer e a família, tendo uma vida pessoal e profissional mais plena”, finaliza a especialista.

 

Sobre o livro:

 

Líder Protagonista – Uma Nova Atitude na Agilidade,  Susanne Andrade (Editora Gente)

Preço: R$ 49,90

Páginas: 194 páginas

 

Sobre Susanne Andrade – É autora dos best-sellers “O Poder da Simplicidade no Mundo Ágil”, “O Segredo do Sucesso é Ser Humano”, e do livro digital “A Magia da Simplicidade”. E lança agora em Abril, pela Editora Gente, o “Líder Protagonista”. É master coach, palestrante e professora de cursos de MBA pela FIAP em disciplinas sobre carreira, coaching, liderança e gestão da mudança para a transformação digital. É sócia-diretora da A&B Consultoria e Desenvolvimento Humano, empresa que criou o “Modelo Ágil Comportamental”. Colunista no “Portal IT Forum 365, na coluna Desenvolvimento Humano na Era 4.0”. Voluntária no Grathi.

82 visitas
Propaganda

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail