Propaganda

Artigos

Entrevista concedida a Revista Empresários por Leonardo Leão, especialista em Direito Internacional, advogado, fundador e CEO/consultor de imigração e negócios internacionais da Leão Group.

Cresce cada vez mais número de profissionais brasileiros residentes nos EUA e Dados apontam uma tendência ao aumento de Green Cards para esses “profissionais excepcionais”. De acordo com Escritório de Assuntos Consulares do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, em 2020, segundo números parciais do relatório fiscal americano, foram 1.899 permissões de residência permanente (vistos efetivamente concedidos ou mudanças de status).

O Itamaraty estima que cerca de 1,6 milhão de brasileiros vivem hoje em território norte-americano. “É um avanço que já vínhamos notando desde 2015, numa média de 10 a 18% ano a ano. De 2018 para 2019, o aumento foi de 29%. Ainda estamos aguardando os dados consolidados de 2020, mas acreditamos que também tenha havido um crescimento exponencial”, explica o especialista em direito internacional, advogado e consultor de negócios internacionais Leonardo Leão, da Leão Group.

Acompanhe abaixo a entrevista concedida a Revista Empresários por Leonardo Leão, especialista em Direito Internacional, advogado, fundador e CEO/consultor de imigração e negócios internacionais da Leão Group.

Revista Empresários: O que é necessário para tirar o visto e seguir carreira na área de telecomunicações nos EUA? Quais qualificações são exigidas? 

Leonardo Leão: O mercado de telecomunicações está mais aquecido do que nunca nos EUA. Com o advento das novas tecnologias, como o 5G, Internet das Coisas (IoT), além da construção e viabilização da First Net (rede wireless exclusiva para serviços de emergência) e as suas aplicações diárias nas necessidades da sociedade americana, a busca por profissionais de todas as áreas ligadas às telecomunicações virou assunto de interesse nacional, devido à carência de profissionais qualificados para atender à demanda prevista para os próximos anos. Dessa forma, a maioria dos os profissionais com experiência na referida indústria são bem-vindos em solo americano.

 Revista Empresários: A pessoa precisa ser formada em quais faculdades e desenvolver quais trabalhos?

Leonardo Leão: Caso a pessoa tenha formação em engenharia de telecomunicações ou Tecnologia da Informação, por exemplo, além de experiência comprovada de mais de cinco anos, após formado, executando suas funções na área de telecomunicações, há grande chance dela se qualificar para a residência permanente (Greencard) até mesmo sem a necessidade de oferta de emprego no E.U.A. Os trabalhos a serem desenvolvidos em solo americano envolvem todos as atividades relacionadas à referida indústria, desde trabalhos de campo, na construção e montagem de sites (torres e antenas), até os trabalhos intelectuais, como desenvolvimento de hardware e software voltados às telecomunicações.

Revista Empresários: Qual o tipo de visto? por que? Quanto a pessoa gastará em média e em quanto tempo sai esse visto?

Leonardo Leão: O tipo de visto a ser utilizado dependerá diretamente do nível de formação e realizações profissionais durante a carreira: se a pessoa possuir um histórico profissional destacado como ter trabalhado em ou para grandes multinacionais, prêmios recebidos, artigos escritos, publicações em seu nome, dentre outros, a pessoa terá grandes chances de se qualificar para um visto EB1, para profissionais com habilidade extraordinária. Já para aqueles que possuem histórico de trabalho na área de mais de cinco anos após a conclusão do ensino superior, porém não se enquadram como habilidade extraordinária, a opção perfeitamente viável é a aplicação para o visto EB2-NIW (National Interest Waiver), onde a oferta de emprego de uma empresa nos EUA é dispensada em função dos planos do profissional estrangeiro de aplicar o seu trabalho e conhecimento em uma área de grande interesse do governo Americano. É importante frisar que ambos os vistos, EB-1 ou EB-2 NIW, não necessitam de oferta de emprego no EUA e garantem o Greencard para o aplicante e sua família (mulheres e filhos). O investimento para estes tipos de processos imigratórios gira em torno de 25 mil reais por família.

Revista Empresários : Qual o salário médio dos profissionais da área que já estão trabalhando nos EUA? 

Leonardo Leão: O salário de profissionais ligados à área de telecomunicações nos EUA, dificilmente fica abaixo dos USD 60 mil anuais para os profissionais de campo, por exemplo. Já os trabalhadores que executam funções com necessidade de maior qualificação, como engenheiros ou desenvolvedores de software, por exemplo, o salário anual é acima de USD 100 mil. A boa remuneração se deve, conforme já citado, à escassez de mão de obra qualificada disponível no mercado americano e a “briga” entre as empresas da área para contar e fidelizar tais profissionais.

46 visitas
Propaganda

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail