Propaganda

Artigos

Empresa paulistana troca de comando depois de duas décadas


Luiz Henrique Caveagna: de office boy a comandante na hora mais crítica

Assumir a direção de qualquer grande companhia sempre é um desafio. O que dizer quando isso ocorre em uma empresa octogenária que mantinha o mesmo comando havia 22 anos – e um mês antes de uma crise global.

Essa foi a prova de fogo do paulistano Luiz Henrique Caveagna, de 51 anos de vida e 37 de Termomecanica, metalúrgica onde entrou em 1983 como office boy (e que em 2019 teve receita bruta de R$ 1,46 bilhão.)

Como foi encarar a pandemia logo de cara?

Assumir a diretoria geral da Termomecanica [fundada por Salvador Arena, em 1942, na Mooca, SP], por si só, já é um grande desafio em minha vida profissional. Agora vou atuar mais do que nunca com altruísmo, fortalecendo nosso capital humano, que sempre foi a grande riqueza da organização.

Qual era a expectativa para 2020 no início do ano? E agora?

Tivemos um primeiro trimestre com crescimento de 11,5% em relação ao ano passado. Aí veio a pandemia. A produção não foi paralisada, especialmente pelo fato de produzirmos itens essenciais para as estruturas hospitalares de
campanha. Para 2020, esperamos uma queda de 9% no volume de venda total, puxado pelo recuo de 12% no mercado interno. As vendas ao mercado externo devem crescer em torno de 14%, puxadas pelo mercado americano.

Quais foram as principais ações da empresa na pandemia?

Os investimentos de R$ 300 milhões previstos para o triênio 2019-2021 foram mantidos. Além disso, aproveitamos a ociosidade da fábrica para treinar a mão de obra. Não houve demissões. Também anunciamos a implantação do Centro de Distribuição na Carolina do Norte (EUA) para ficarmos mais perto de um dos nossos principais mercados.

Com apoio da Forbes Brasil.

225 visitas
Propaganda

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail