Propaganda

Artigos

Cinco formas simples e inteligentes para proteger os equipamentos digitais de sua empresa – Por: Otto Pohlmann é CEO da Centric Solution, empresa de tecnologia que fornece soluções completas para atender aos requisitos de segurança e da LGPD, com foco em implementação, treinamento e suporte a fim de ajudar a sustentar o desenvolvimento de negócios de todos os portes e setores

Não há negócio que sobreviva sem a utilização de dados digitais atualmente. Tal importância, contudo, tem um ônus: essas informações passam a ser alvos constantes de cibercriminosos. É um cenário ainda mais desafiador diante da intensa digitalização provocada pela evolução da tecnologia. Aqui no Brasil, as notificaçõede ataques cibernéticos cresceram 220% no primeiro semestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano anterior, segundo dados do Grupo Mz com base em dados levantados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A proteção de toda a arquitetura de TI revela-se, então, fundamental no ambiente corporativo – e começa com soluções bem simples e inteligentes. Confira:

1 – Gerenciamento de senhas  

O primeiro passo, evidentemente, é fazer o gerenciamento adequado das senhas e das autenticações utilizadas pelos colaboradores. O ideal é contar com uma solução específica para isso, capaz de gerar essas palavras-chave de forma randômica, ou seja, que não são previstas ou reutilizadas. Com esse sistema, é possível estabelecer duas camadas de proteção, fortalecendo a segurança digital, e identificar possíveis ataques de invasores e tentativas de fraudes de senhas.

2 – Proteção de endpoints 

Independente do porte da empresa, é inegável que a operação do negócio depende de uma quantidade cada vez maior de equipamentos tecnológicos, como computadores, celulares, entre outros. Eles são os endpoints e, sem a devida proteção, são buracos explorados por cibercriminosos. Com uma solução adequada, é possível estabelecer camadas de proteção aos dispositivos, reduzindo o risco de ataques de malwareSua vantagem é permitir que os profissionais possam executar atualizaçõee varreduras em busca de fragilidades na estrutura digital, aléde fazer a gestão de ativos e o controle remoto.

3 – Encriptação de dados 

Mesmo com a gestão de senhas e a proteção dos endpoints, alguns dados, principalmente os mais sensíveis e confidenciais, exigem uma camada adicional de segurança. A melhor alternativa é incluir uma ferramenta capaz de encriptar essas informaçõede forma rápida e prática. Isso vale tanto para os dados que estão nos discos rígidos quanto aqueles que podem ser acessados de dispositivos removíveis e móveis. Assim, mesmo que um cibercriminoso consiga ultrapassar todas as proteções, não conseguirá acessar esses dados.

4 – Auditoria de arquivos 

Além das soluções que estabelecem camadas de proteção, é imprescindível fazer varreduras em toda a rede para identificar quaisquer alterações na rede e nos arquivos. Isso ajuda a antever e prevenir ataques. Com recursos de auditoria, é possível monitorar e analisar todas as mudanças feitas em arquivos e pastas localizadas nos servidores da empresa, aléde gerar alertas em tempo real quando alguma alteração for feita e fornecer todas as tentativas de acesso.

5 – Gestão das redes corporativas  

Por fim, em um modelo de trabalho híbrido, com os colaboradores realizando parte de suas tarefas no home office, a preocupação com a rede corporativa também precisa ser redobrada. Qualquer descuido no login pode trazer graves prejuízos à corporação. Assim, é fundamental investir em tecnologia que faz a gestão adequada de todas as redes corporativas. Com ela, é possível ter uma visão completa de todos os acessos e equipamentos utilizados, aléde executar varreduras que identificam brechas deixadas pelos colaboradores – e que são exploradas pelos cibercriminosos.

 

58 visitas
Propaganda

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail