Propaganda

Artigos

A saúde mental, o estresse e a humanização em dias de confinamento

Por conta do potencial de contaminação do novo coronavírus, o confinamento se tornou uma das principais estratégias para conter a propagação da COVID-19. Alternativa adotada por empresas e governos, a quarentena já provou a sua eficácia ao redor do mundo.

Na Eslováquia, país da Europa Central que conta com pouco mais de 5 milhões de habitantes, medidas de precaução foram rapidamente tomadas e após os primeiros casos da doença terem sido identificados, o governo local agiu rapidamente intensificou sua política de isolamento, entre outras ações. Como resultado, nenhuma morte foi registrada até então por conta da doença, e aos poucos a nação se prepara para promover a reabertura do comércio e de serviços não-essenciais. Já no Brasil, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, igualmente recomenda a quarentena total, apesar da recomendação já ter gerado uma onda de protestos populares.

Segundo o Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, o isolamento social é “a única alternativa que temos para combater o vírus”. O diretor recorda que nesse momento de pandemia, “é essencial que os governos se mantenham informados e apoiem o isolamento”. Apesar de entidades e instituições de saúde e governamentais defenderem o confinamento durante o período de crise, não é incomum que a obrigatoriedade do ato seja catalisadora de diversas sensações nas pessoas, como angústia, ansiedade e também pânico, à medida que incertezas e notícias falsas sobre a doença ainda são difundidas.

Diante disso, fica um questionamento: como fica a saúde mental durante o isolamento social?

Psicólogo e diretor do Centro de Mindfulness do Rio de Janeiro, Vitor Friary diz que “quando confinado, o ser humano desenvolve comportamentos e experiências diferentes de sua personalidade digamos usual”. O especialista explica que o confinamento pode propiciar às pessoas visão e sentimento de mundo “essencialmente transformados”, o que, segundo estudos da área, promove uma piora na qualidade de vida. Em razão disso, por não ser opcional e sim motivado por uma situação de gravidade, o isolamento pode ser encarado como algo a se enfrentar, o que faz com que as pessoas tenham resistências contra ele e um desejo de combatê-lo.

“Essa luta acompanha pensamentos negativos frequentes, preocupação excessiva e uma correnteza de julgamentos e reclamações. Todas, é claro, com motivos bem reais e dignos de atenção. Porém, esse estado mental de luta aumenta sintomas de ansiedade e depressão. Através das intervenções baseadas em mindfulness ou MBI’s aprendemos que não temos controle sobre todas as coisas, e que por vezes quanto mais no debatemos contra ameaças, menos forças temos para enfrentá-las e resisti-las”, alerta Friary.

Cuidados com a mente: o mindfulness como aliado
O psicólogo orienta que o uso de técnicas de mindfulness podem ajudar a manter saudável a mente durante o período de isolamento.

“Uma atitude de mindfulness que pode ser bastante útil nesses momentos é a aceitação. A aceitação reduz tensões mentais e emocionais e nos ajuda a passar mais pacientemente pelos problemas e dificuldades ao invés de perder forças apenas lutando contra. Exercícios simples como pausar e concentrar nas sensações da respiração chegando e partindo por apenas três minutos e deixando os pensamentos simplesmente passarem pela mente, ao invés de nos fixarmos nos pensamentos, ajuda a diminuir o domínio de pensamentos negativos sobre o nosso emocional e sobre o corpo”, estimula o especialista. “Com essa prática o colaborador pode aprender que as sensações de desconforto são passageiras e que é possível responder a desconfortos ao invés de simplesmente desesperar e reagir. Como se fossemos um grande bambuzal, que balança bem intensamente na presença de ventos fortes, enverga com certeza, mas não quebra, porque flui com a ventania ao invés de reagir e resistir”, acrescenta.

Além disso, ao mesmo tempo que a transformação digital se tornou um dos principais enfoques das organizações ao redor do planeta, a pandemia reforça o quanto é vital as empresas se preocuparem com as pessoas. Assim como a tecnologia é importante para o desenvolvimento do negócio, a humanização e atenção com o bem-estar do colaborador é igualmente fundamental.

“Empresas do setor privado como a multinacional Google já começaram adotar nos últimos anos um modelo de bem estar ocupacional muito eficaz e com resultados promissores conhecido como intervenções baseadas em mindfulness (MBI’s). Mindfulness é um treinamento de consciência que ajuda os colaboradores de uma empresa aumentar foco e concentração que pode ajudar tanto no aumento de tomada de consciência e decisão em momentos de risco e desafio de uma organização, assim como também ajuda aumentar inteligência emocional”, ressalta Friary.

De acordo com o especialista, praticar o mindfulness tanto em ambiente organizacional quanto em casa impactam positivamente no nosso potencial de criatividade e resiliência, o que reduz a sensação de sobrecarga e estafa, melhora a relação com as pessoas ao redor e diminui significativamente sintomas de estresse e também da Síndrome de Burnout.

Pânico? Estresse? Não precisa disso!
Para Luis Sérgio DeRose, conhecido como Professor DeRose, apesar do isolamento causar sentimentos ruins, é fundamental manter a calma para que a experiência não se torne mais incômoda do que precisaria ser. Um dos mais renomados especialistas em gerenciamento de estresse do país, o professor salienta que o estresse e o medo só tendem a contribuir para a perda de foco e para uma visão pessimista sobre os impactos que a pandemia trarão.

“Não há por que ficar estressado. Desde que você esteja tomando todos os cuidados recomendados, não há motivo para o estresse, até porque ele piora o cenário. Pense assim: fiz o que era possível; agora, só me resta relaxar. Tendo a consciência tranquila de que tomamos todos os cuidados, agora é só esperar que a crise passe. Todas as epidemias anteriores a esta, passaram. Esta também passará”, diz.

Responsável pelo DeRose Method, programa desenvolvido para aumentar a vitalidade, administrar o estresse e ganhar foco, o especialista também recomenda que haja maior filtragem no conteúdo consumido, independentemente de qual seja o canal pelo qual as pessoas costumam se informar. “Dê ouvidos a conselhos emitidos por médicos especializados. Evite até dar muita atenção a noticiários, pois eles precisam vender notícias. Fique longe de comunicados alarmistas e cuidado com as fake news, já que algumas vezes estas são veiculadas sem má intenção, por mero nervosismo e desinformação.

Como o DeRose Method pode ajudar?
Mesmo desconfortável, o isolamento obrigatório não deve afetar rotinas e hábitos saudáveis. Cuidados com a alimentação, prática de exercícios, leitura, atividades com a família e bate-papo com amigos são algumas sugestões para que corpo e mente se mantenham fortalecidos.

“Ensinamos técnicas de respiração, procedimentos posturais, mindfulness, meditação, de administração do stress etc. As técnicas são importantes, mas a reeducação comportamental é fundamental, porque cultiva a civilidade, as boas maneiras, a cordialidade, o bom humor e levanta o moral. Sugerimos pensar com a cabeça do outro e ensinamos recursos para administração de conflitos”, comenta DeRose.

Abaixo, o professor traz dicas que contribuem para a produção de hormônios de defesa e fortalecimento da imunidade:

Faça exercícios respiratórios, pois isso protege os pulmões (https://derose.co/pocket-respiracao);
Implemente hábitos saudáveis, como exercícios regulares moderados;
Adote uma alimentação saudável, com produtos orgânicos, muitos legumes, hortaliças e frutas;
Dê uma atenção especial à utilização de alho, gengibre, própolis e cúrcuma com pimenta preta;
Adote técnicas de higiene mais aprimoradas, entre elas a lavagem do sinus com água e sal (técnica denominada nêti);
Procure reduzir ou eliminar os hábitos de fumar e de tomar bebidas alcoólicas que, sabidamente, reduzem as resistências do organismo e o predispõem a enfermidades diversas, fragilizando-o;
Cultive o sono de boa qualidade, de oito horas por noite, bem como descansos ao longo do dia para arejar a cabeça, com práticas de respiração e de meditação (https://derose.co/pocket-meditacao);
É saudável tomar um pouco de sol, sem exagero, sempre que possível;
Mantenha-se focado, otimista e alegre; evite o medo, o estresse e o pânico: eles causam ansiedade, o que aumenta a produção de cortisol e outras substâncias depressoras da imunidade (https://derose.co/pocket-sobre-stress);
“Não estamos afirmando que quem pratica o método não possa contrair uma gripe ou qualquer outro vírus. Seria leviandade supor tal coisa. Contudo, é inegável que uma vida saudável, que observe as recomendações acima, nos proporciona mais resistência. O vírus até poderá ser contraído, mas tais cuidados têm a intenção de evitar complicações mais graves”, esclarece DeRose.

Humanização e empatia pedem passagem
Durante a pandemia, o constante estado de alerta provoca uma sensação de aborrecimento que pode até desestimular ações empáticas e o bom convívio social. Professor do DeRose Method em Portugal, o professor Eduardo Saldanha elenca ações que podem aliviar o peso da quarentena e melhorar as relações entre os indivíduos:

*A quarentena e as emoções pesadas, por vezes geradas pelos noticiários, podem fazer com que os seus familiares sintam-se preocupados. Contate-os regularmente, com conversas alegres e divertidas;
*Com mais tempo livre em casa, aproveite para fazer uma limpeza geral, higienizando todos os espaços, Redecore, dê um novo brilho a seu lar. E faça o mesmo com suas roupas: separe aquelas que mais goste e doe as que não precisa mais.
*Caso tenha profissionais que antes vinham trabalhar em casa (empregada da limpeza, jardineiro etc.), continue pagando-os normalmente. Muitos deles, neste momento, não têm outro mecanismo financeiro;
*Se você mora num prédio ou condomínio, contate o síndico ou administrador para saber se alguém da vizinhança precisa de apoio;
*Com as escolas fechadas, muitas pessoas mais carentes ficaram sem comida para os filhos que, às vezes, dependem das refeições da escola para comer. Crie um post no Facebook, Instagram etc., oferecendo-se para ajudar com a alimentação de quem mais precisa.
*Envie mensagens nos seus grupos do WhatsApp, Messenger etc., oferecendo-se para passear com cães ou fazer compras de supermercado e farmácia de pessoas que pertençam a um grupo de risco e não possam de todo sair de casa;
*Cumpra as regras de civilidade para não contagiar outras pessoas: fique em casa. Caso tenha mesmo de sair, mantenha a distância de segurança, use luvas e máscara;
*Se tiver uma casa/um apartamento vazio, disponibilize-o a um profissional de saúde. Muitos não podem agora voltar às suas casas de família, para assegurar que não sejam agentes de contágio;
*Acima de tudo, mantenha-se positivo! Ao demonstrar um emocional leve, as pessoas com quem você se comunicar vão sentir-se melhor.

164 visitas
Propaganda

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail