Propaganda

Artigos

REALIDADE VIRTUAL, AUMENTADA OU MISTA? SAIBA EM QUAL ÁREA APOSTAR EM 2019

Entender as diferentes nuances das novas tecnologias não é tarefa fácil. O que diferencia a Realidade Virtual da Realidade Aumentada, por exemplo? E a Virtualidade Aumentada, onde se encaixa nisso e quanto de Inteligência Artificial é utilizada? Sendo essa uma área em ampla expansão, a curiosidade em torno do tema aumenta no mesmo ritmo em que surgem as oportunidades neste mercado de trabalho, possibilitando boas chances de se destacar profissionalmente. No entanto, para alcançar isto é preciso estar com todas as habilidades necessárias em dia e é por isso que a Udemy, a maior plataforma de educação online do mundo, busca esclarecer o que se trata cada uma dessas áreas para que seus novos alunos saibam em qual apostar num futuro próximo.

O engenheiro de computação e doutorando nas áreas de realidade virtual e aumentada Camilo Barreto Junior – que também atua como instrutor na Udemy, onde conta com mais de 1.600 alunos ao longo de quatro cursos distintos -, explica que a Realidade Virtual (RV) no geral pode ser compreendida como um sistema computacional usado para criar um ambiente artificial, no qual o usuário tem a impressão de não somente estar dentro deste ambiente mas também habilitado com a capacidade de navegar através deste espaço, interagindo com objetos de maneira intuitiva e natural.

O instrutor explica os diferentes tipos de novas realidades:

Realidade Virtual é quando a aplicação possui somente objetos virtuais em um ambiente que é totalmente virtual. Ou seja, o usuário navega e interage com objetos que não existem no mundo real e estão limitados àquele espaço. A Realidade Virtual, por sua vez, tem duas subcategorias: RV Semi-imersiva e RV Imersiva. No caso de RV Semi-Imersiva, o usuário sente-se imerso no ambiente por meio do monitor, mouse e teclado do computador, por exemplo. Com a RV Imersiva, o usuário é submetido ao uso de um HMD (Head-Mounted Display, os óculos especiais, geralmente acoplados a smartphones) onde sua visão é transportada para dentro de mundos virtuais, elevando o grau de sentidos sobre algo que não existe no mundo real.

Realidade Aumentada é quando o ambiente real predomina. Isto é, por meio do HMD o usuário visualiza o mundo real e o sistema o enriquece com objetos virtuais – parecido com o que aconteceu com o app do Pokémon GO, febre mundial em 2016.

Realidade Mista é quando nem o mundo real e nem o mundo virtual são predominantes, ambos são bem nivelados. Pode-se interagir com objetos do mundo real e virtual como se fossem em um ambiente único.

Virtualidade Aumentada é muito parecida com a realidade aumentada, só que no sentido inverso. É quando um ambiente virtual predomina, mas onde objetos reais também são inseridos, sendo o mundo virtual enriquecido com vídeos, imagens ou outros objetos físicos.

Assim como os diferentes tipos de Realidades Virtuais, a Inteligência Artificial (IA) passou a ganhar cada vez mais relevância neste cenário tecnológico. Porém, o uso da IA vai depender muito do tipo de aplicação que está empregando a RV. “Atualmente o mundo dos jogos com suporte à RV contam cada vez mais com o uso da IA, e esse é exatamente um exemplo onde essa IA deve estar implementada. Em mundos virtuais onde os usuários necessitem de interação com o ambiente, por exemplo, o uso de IA é muito importante, principalmente em avatares, animais, máquinas, robôs, etc”, explica Camilo.

O avanço dessas novas tecnologias pode ser facilmente comprovado. Numa avaliação anual de tecnologias emergentes, a RV apareceu em 2016 como uma área que só então estava partindo para o campo das tecnologias comerciais. Já em 2018, a RV desapareceu completamente do ranking, o que significa que está a todo vapor no nível comercial, conforme explica Camilo. “As perspectivas profissionais para quem quer trabalhar com RV são excelentes pois, como é um mercado jovem, fica fácil se destacar. Claro, é necessário investir em conhecimento para conseguir se tornarem bons profissionais, com capacidade de elaborar e criar excelentes aplicações”, frisa.

O espanhol Mariano Rivas, desenvolvedor de videogames e instrutor do mesmo tema na plataforma internacional da Udemy, onde conta com mais de 42 mil alunos, concorda com a visão de mercado do Camilo. O instrutor europeu vê a expansão das Realidades Virtuais como uma revolução em curso: “A tendência é que isso possibilite experiências ainda inéditas, não apenas na indústria do entretenimento mas também em outras áreas, como aquelas ligadas diretamente ao trabalho diário, áreas que ainda não utilizam a RV e a IA em todo seu potencial, como a arquitetura e medicina”.

Mariano teoriza que alternativas tecnológicas deste irão somar à vida das pessoas, “sempre se apresentando como uma solução ao invés de um problema”. “Cada vez mais, setores distintos irão utilizar essas novas tecnologias como ferramentas aliadas ao futuro. Há a ameaça de fazer algumas profissões deixarem de ser relevantes no futuro? Sim, mas é a ordem natural das coisas, as pessoas precisam evoluir junto”, completa.

Isso, por um lado, mostra quantas áreas podem ser enriquecidas com a implementação de tecnologias como RV e IA, desde a indústria do entretenimento até a pesquisa científica, passando pelo campo da educação. Mas, por outro lado, pode revelar um futuro sombrio. “Estamos em um ritmo exponencial de evolução tecnológica, tanto na questão de realidade virtual quanto de interface cérebro-computador. Em breve poderemos chegar a um universo como aquele do filme ‘Matrix’ pois, no momento em que estudiosos conseguirem criar uma interface cérebro-computador eficiente, apenas alguns passos podem nos fazer imergir em um mundo virtual sem o uso de quaisquer dispositivos. É até um pouco assustador”, Camilo finaliza.

Sobre a Udemy:
Udemy foi fundada em 2010 com o objetivo de melhorar a vida das pessoas através do aprendizado. A Udemy é um marketplace global de ensino online, no qual mais de 24 milhões de alunos aprendem com um extenso catálogo de mais de 80 mil cursos ministrados por instrutores especialistas, em mais de 50 idiomas diferentes. Seja aprender para desenvolvimento profissional ou enriquecimento pessoal, os alunos podem dominar novas habilidades em seu próprio ritmo, com conteúdo sob demanda, enquanto os instrutores têm uma maneira de compartilhar seus conhecimentos com o mundo inteiro. A Udemy é uma empresa privada e está sediada em San Francisco, Califórnia, com escritórios na Irlanda, Turquia e Brasil.

57 visitas
Propaganda

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail