Propaganda

Artigos

Modelo de contratação de executivos gera economia de até 20% para empresas

Alternativa é ágil e funcional para a maioria das companhias

No segundo semestre de 2018, a Flow Executive Finders realizou uma pesquisa com mais de 100 executivos. Em torno de 44% dos entrevistados acreditam que as empresas irão contratar mais líderes nos próximos meses, principalmente, os que estiverem ligados à transformação digital e à estruturação de capital.

O estudo ainda revela que 90% deles receberam ao menos uma proposta de um novo emprego em 2018. E os motivos que tem incentivado os turnovers de líderes nas empresas são: falta de governança assertiva, de autonomia e de projetos desafiadores. Por outro lado, os executivos, que se desligaram das companhias sem ter em mãos um novo emprego, enfrentam um mercado restritivo de contratação.

Fato é que a saída de lideranças nas companhias tem gerado atrasos em importantes projetos. Para atender a estas emergências, muitas empresas estão recorrendo às novas opções de mercado, como a contratação interina de líderes, conhecida também como interim management. “O processo é mais ágil e eficiente e totalmente diferenciado das empresas de seleção de executivos atuais. A contratação neste modelo pode reduzir em média 20% os custos com salário, benefícios e encargo”, ressalta o executivo de finanças da innovativa

Executivos Associados, Roberto Lobos. Este modelo analisa minuciosamente cada necessidade do cliente como em um projeto consultivo. Após o diagnóstico profissional, é designado um profissional capacitado para resolver e atuar pelo período determinado. “A grande diferença é que para executar estes trabalhos, é acertado um valor mensal e nada mais.

É uma grande chance para as empresas absorverem o conhecimento destas lideranças extremamente gabaritadas”, relata Lobos. O mercado tem se adaptado a esta realidade e cada vez mais as companhias têm buscado os executivos interinos.

A executiva de RH da innovativa, Tânia Ludovico, conta que o processo também é uma opção para os casos em que a empresa precisa preencher um gap de funcionários em situações específicas como: período de licença maternidade; ausência por participação do executivo em outro projeto e até um desligamento repentino de uma posição que requer um executivo sênior participando ativamente das atividades. “Para um cenário onde há uma forte restrição para a contratação, esta é uma solução para não deixar as empresas com queda de agilidade decisória por falta de um líder”, ressalta a executiva.

São raras as empresas em que o aumento de quadro de pessoa não é um assunto com pouca ou nenhuma abertura. “Seja por crescimento de faturamento, mudança de processos ou novos negócios. Estes fatores demandam profissionais temporários seja no processo operacional, tático ou estratégico”, comenta Roberto. Há centenas de executivos disponíveis com capital intelectual pulsante a espera de uma oportunidade. “Eles podem trazer ganhos para empresas, mesmo atuando de forma interina.
O executivo interino é uma resposta rápida para atender à necessidade e com bagagem e expertise no assunto no qual irá atuar. Com certeza, desenvolverá oportunidade para a melhoria da produtividade, rentabilidade da empresa, elevando o patamar de competitividade e qualidade de gestão do negócio”, finaliza o executivo.

36 visitas
Propaganda

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail