Propaganda

Artigos

Logística e Supply Chain Management – SCM – Quais as diferenças? Por: Gilvam Vieira da Silva – Especialista em Metodologia do Ensino Superior. Com mais de 20 anos de experiência como Pesquisador acadêmico em Logística e Supply Chain Management

O SCM surgiu a partir do desenvolvimento da logística e da análise da cadeia de suprimentos como um todo; atuando, não só na função logística, como também sobre outras funções empresariais – marketing, vendas, finanças, planejamento, pesquisa e desenvolvimento (P&D) e recursos humanos, dentre outras – e em todas as empresas da cadeia. Ou seja, o gerenciamento da cadeia de suprimentos é uma abordagem holística que surgiu como evolução natural da aplicação da logística no ambiente empresarial, em virtude dos diversos desafios envolvidos.

Em 2005, o conceito de logística mudou novamente, e passou-se a falar em Supply Chain. O CLM acabou se transformando em uma associação de supply chain, o que é um erro, porque é uma ciência mais ampla que a logística. Supply chain não é logística. A logística faz parte do supply chain. Há uma grande confusão aí.
Existe uma confusão acerca dos termos mais comuns na gestão logística. Na literatura, logística e Supply Chain Management (SCM) são muitas vezes usados como sinônimos. Muitos autores com diferentes conceitos para o que vem a ser “Cadeia de Suprimentos”. Alguns dizem que ela faz parte da logística e outros dizem que a logística é que faz parte da Cadeia de suprimentos.

Supply chain é a fusão de processos multi-setorias, convergindo para a otimização de resultados de uma companhia: O que são processos multisetoriais? Entram em jogo a funcionalidade do marketing, da área comercial, da área financeira e da logística. São quatro funcionalidades convergindo de forma matricial com todos os fluxos dos fornecedores. Enfim, o supply chain extrapola a logística, é algo mais amplo.

É uma forma integrada de planejar, controlar e otimizar o fluxo de bens ou produtos, informações e recursos, desde os fornecedores até o cliente final administrando as relações de logística na cadeia de suprimentos, que representa uma rede de organizações ligadas nos dois sentidos, e os diferentes processos e atividades que produzem valor na forma de produtos e serviços que são postos nas mãos do consumidor final. Dica: Entenda bem as condições específicas da cadeia de suprimentos da qual a sua empresa faz parte e avalie as práticas mais usuais, dificuldades, concorrências dentre outros fatores.

Talvez a maior confusão está associada a infraestrutura. É recorrente ouvirmos o termo logística confundido com infraestrutura, isto é, quando temos falta de recurso como no caso de rodovias em condições precárias, filas em portos, aeroportos, e ouvimos alguém dizendo que temos um problema de logística, quando na verdade o que temos é um problema para logística, que é quem tem a responsabilidade por planejar, implementar e controlar o fluxo eficaz e ao menor custo dos materiais de e para uma empresa, incluindo as informações relacionadas, com propósito de atender as necessidades dos clientes.

Conforme o dicionário de logística publicado pelo Instituto IMAM, IMAM CONSULTORIA E IMAM EDITORA, o gerenciamento da cadeia de abastecimento “é o processo de integração que combina as funções da logística desde o gerenciamento de materiais, sua aquisição, tecnologia de informação e funções de planejamento estratégico, tático e operacional visando o atendimento dos consumidores de nossos produtos e ou serviços.

A logística trata da integração intra-empresarial e o gerenciamento da cadeia de abastecimento (supply chain management – SCM) da integração inter-empresarial. Ou seja, há duas visões para o conceito de Supply Chain Management. Uma é a visão intra-organizacional, a outra é a visão interorganizacional.

Considerando a visão intra-organizacional, o SCM envolve tanto as operações de logística como as de manufatura, ou seja, seria o mesmo que integrar logística com manufatura (produção) dentro de uma única organização. Já na visão interorganizacional, o SCM além de desenvolver a visão intra-organizacional necessita selecionar e organizar parcerias que aceitem o desafio do trabalho integrado, permitindo a integração mútua das organizações e propiciando, no final da cadeia produtiva, a satisfação do cliente final. Os objetivos do Supply Chain Management (SCM) são para eliminar redundâncias, e reduzir o tempo de ciclo e inventários de forma a fornecer melhores serviços aos clientes ao menor custo.

O foco deslocou-se do compartilhamento do paradigma de market share para o paradigma do cliente, onde o objetivo é criar “valor do cliente”, levando ao aumento da lucratividade das empresas, o valor do acionista, e vantagem competitiva sustentável no longo prazo. Ou seja, com isso, houve uma mudança introduzida pelo SCM no paradigma competitivo, ao considerar que a competição no mercado ocorre no nível das SCM e não apenas no nível da unidades de negócios isoladas como estabelece o consagrado modelo de Porter – 5 forças competitivas.

Logística envolve a obtenção, da fonte certa, do produto certo, na quantidade certa e na qualidade certa, no lugar certo e na hora certa, para o cliente certo ao preço certo. A cadeia de abastecimento consiste dos fornecedores, a varejista e os clientes finais, ou consumidores.

Logística é um fator-chave de colaboração e integração da cadeia. Melhorar o desempenho neste campo permite que as cadeias de abastecimento aumentem significativamente a sua eficiência e contribui na criação de valor e inovações em diversas áreas. Gestão da cadeia de abastecimento é uma abordagem inter-função incluindo o gerenciamento do transporte das matérias-primas, aspectos do processamento interno de materiais em produtos acabados, e o movimento das mercadorias até o consumidor final.

Supply Chain Management (SCM) é mais estratégica na natureza enquanto que a logística é mais orientado para as táticas e operações. Enquanto Supply Chain Management (SCM) lida mais com as ligações na cadeia, contratos e relacionamentos, seleção de fornecedores, informações e fluxos financeiros além de fluxos de materiais, criando novas instalações, tais como fábricas, armazéns e centros de distribuição, e questões mais amplas, tais como economia, sociedade, governo e meio ambiente, o escopo da logística é mais ou menos confinado ao trabalho de rotina de transporte e armazenagem de mercadorias.

No entanto, pode-se perceber que a logística é o núcleo de Supply Chain Management (SCM), se a logística falhar, toda a cadeia se rompe.

Quais os principais desafios da SCM?
1. Resposta ágil
2. Antecipar necessidades
3. Comunicação completa
4. Confiabilidade das informações
5. Sincronizar fluxos
6. Integrar recursos
7. Compartilhar riscos e incertezas
8. Minimizar perdas
9. Conter custos
10. Tomada de decisões
11. Implementar mudanças
12. Liderar pessoas

Existem dois tipos de pessoas: aquelas que fazem acontecer e aquelas que deixam acontecer. A maior parte das pessoas está no grupo que deixa acontecer, e apenas uma pequena parte faz acontecer.

Referências:

CARILLO, Edson. Da logística ao SCM. Artigo: Setembro 2017. President & CEO at Connexxion Brasil
GASNIER, Daniel. Série: Planejamento na SCM . Consultor – Especialista em Otimização – Processos, Projetos, Estoques e Cadastros. Diretor, Gerente de Projetos, Consultor & Professor da G4 DanielGasnier.com. Revista Logística . Março de 2006. Grupo IMAM. São Paulo
INSTITUTO IMAM. IMAM Consultoria. IMAM Editora. Dicionário da Logística. São Paulo.
VANTINE. José Geraldo. Logística Ilimitada. Revista MundoLogística. Nº43. ANO VIII. NOVEMBRO E DEZEMBRO 2014.

_ Adm. Gilvam Vieira da Silva Registrado no Conselho Regional de Administração da Paraíba (CRA –PB) sob o número 1- 5243 Especialista em Metodologia do Ensino Superior. Com mais de 20 anos de experiência como Pesquisador acadêmico em Logística e Supply Chain Management
admgilvan@yahoo.com.br

241 visitas
Propaganda

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail