Propaganda

Artigos

FICON na ACS – Prefeito de Santos anuncia projeto de lei que prevê isenções fiscais para comerciantes do Centro de Santos

A abertura da 7º Fórum da Indústria da Construção Civil de Santos e Região (Ficon), realizado na Associação Comercial de Santos (ACS), foi palco para o anúncio de um projeto de lei que prevê isenções fiscais para comerciantes do Centro de Santos. Conforme o prefeito da Cidade, Paulo Alexandre Barbosa, o objetivo é atrair moradores ao Centro.

“Por meio de isenções fiscais para comerciantes, queremos manter e atrair novos comércios para o Centro de Santos. Esse projeto prevê um estímulo para retrofit (modernização) em prédios degradados e estuda-se ainda a possibilidade de isenção de cinco anos de IPTU para quem adquirir imóveis construídos no Centro”.

Estão previstas também isenções de Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI). “Vamos enviar o projeto nos próximos dias para a Câmara de Vereadores”.

Outro anúncio feito pelo prefeito é que no próximo dia 28 será aberto o envelope da licitação para contratação das obras da 2ª fase do VLT – Veículo Leve Sobre Trilhos. “Será um investimento de mais de R$ 300 milhões”.

Sobre investimentos feitos no Centro, o presidente da ACS, também diretor-presidente da TV Tribuna, Roberto Clemente Santini, ressaltou em seu discurso a importância da recente obra de modernização do prédio-sede da Associação Comercial de Santos, que trouxe benefícios não só para associados, mas para toda sociedade.

“Exatamente no dia 4 de maio, depois de quase 15 meses, nós entregamos as obras de modernização desse nosso prédio, com quase 100 anos de existência. Essa ação vai além da execução da obra, que modernizou e adequou a ACS às suas necessidades e da Cidade. Ela tem um grande simbolismo: foi uma demonstração de que acreditamos no Centro da Cidade e que é, sim, perfeitamente possível evoluir, crescer e, simultaneamente, preservar a história. Em apenas um dia, tivemos mais de 300 visitantes. Diariamente, temos recebido novos visitantes e pedidos de agendamento, comprovando que a ACS recuperou seu papel de protagonista”.

Marcos Clemente Santini, diretor-presidente do jornal A Tribuna, falou na sequência e disse que o principal objetivo do evento é ouvir e transmitir o que efetivamente o setor espera, principalmente da administração municipal e dos legisladores.

“Depois de muitos meses de debates com os empresários da construção civil, foi aprovada na Câmara Municipal a nova Lei de Uso e Ocupação do Solo, uma mudança importante. Mas fica desde já o alerta: as revisões anuais são imprescindíveis, os ajustes têm que ser permanentes. Mas é preciso mais, principalmente em termos de planejamento. Em síntese: nós precisamos definir o que efetivamente a Cidade quer. A indústria imobiliária tem ciclos, nós temos que nos preparar para os próximos, criar efetivas condições para o desenvolvimento do setor. O que precisamos é de nova uma lei, não para destombar os que já estão tombados, mas uma legislação que desengesse, que flexibilize, que defina normas para que os empresários possam reformar esses imóveis, e não deixar abandonados, como estão hoje”.

O diretor financeiro da ACS e sócio diretor da empresa AMC, André Marques Canoilas, falou sobre o momento atual da construção civil na Baixada Santista e ressaltou que a região precisa primeiro liquidar o estoque de imóveis parados, não só residenciais, mas também comerciais, antes de pensar em retomar a construção e os lançamentos.

“Para isso, precisamos fomentar novas atividades econômicas na Cidade. Temos que pressionar autoridades, reunimos muitas características e qualidades em Santos para trazer novas atividades econômicas e, aí assim, alavancar novamente a nossa economia. Vemos ainda quantidade de imóveis em estoque muito elevada e as empresas estão num momento difícil para liquidar esses imóveis”.

Palestras

A primeira palestra do dia foi ministrada por José Carlos Rodrigues Martins, Presidente da CBIC – Câmara Brasileira da Indústria da Construção, e teve como tema “Perspectivas do setor sobre o aspecto político/econômico.

Na sequência, a palestra “Parcerias Públicos Privadas – Smart Cities” foi apresentada por Vitor Amuri Antunes – advogado Especialista em Direito da Infraestrutura pela FGV.

No período da tarde, a primeira palestra com o tema “Tendências do Mercado Imobiliário” foi apresentada por Guilherme Werner, da Brain, Bureau de Inteligência Corporativa.

Em seguida, o arquiteto Anthony Ling, Arquiteto ministrou a palestra “O Caos planejado. A difícil relação entre crescimento e qualidade de vida”.

Dentro da programação, foi realizado o painel “As alavancas do crescimento na região”. Entre os participantes estavam: o secretário da Casa Civil do Estado de São Paulo, Mauricio Juvenal; o consultor portuário Fabricio Pierdomênico; o diretor-presidente da Ursini Participações, André Ursini; e o diretor da Geobrasilis, José Roberto. A conversa foi mediada pelo diretor da Associação Comercial de Santos, Márcio Calves

Na oportunidade, Mauricio Juvenal falou sobre o projeto para implantação de um Ferroanel, anel ferroviário nos mesmos moldes do Rodoanel, que irá circundar a Região Metropolitana de São Paulo, interligando as regiões de Campinas, Vale do Paraíba e Baixada Santista.

Segundo ele, a obra trará amplos e positivos impactos logísticos e ambientais para o Estado de São Paulo, com efeitos econômicos da expressão nacional.

“Vamos investir em torno de R$ 4 bilhões no projeto do ferroanel”.

Um dos benefícios da implantação do ferroanel citados por ele será potencializar o Porto de Santos, por meio da otimização do uso da infraestrutura existente.

O Ficon é realizado pelo Grupo Tribuna e pela Una Marketing de Eventos, com apoio da Associação Comercial de Santos.

98 visitas
Propaganda

cool good eh love2 cute confused notgood numb disgusting fail